Você conhece o Finasterida e Minoxidil?

            Finasterida e Minoxidil são dois produtos utilizados para prevenir e tratar a perda/queda de cabelos. Basicamente, ambos têm o mesmo objetivo, mas podem agir de maneiras diferentes e gerar resultados variados, dependendo do indivíduo.

Muitos especialistas tentam costumam relatar uma disputa de território entre eles, sendo que não há razão para isso. Não deveriam ser concorrentes, pois apesar de o intuito ser parecido, eles possuem modos de uso e ações bem diferentes.

Saiba mais sobre os dois a seguir:

  • Finasterida

            A Finasterida (também conhecida como Propecia), vem na forma de comprimido e deve ser ingerida todos os dias. Sua ação inibe a síntese da enzima 5-alfa-redutase, que é a causadora do dano e da perda dos folículos.

Os resultados do tratamento com a Finasterida podem demorar até seis meses para começarem a realmente aparecer. Por isso, não se pode iniciar a ingestão de forma impaciente ou com expectativas de que o cabelo brotará em poucas semanas.

  • Minoxidil

            Diferentemente da Finasterida, o Minoxidil é vendido como uma loção para ser aplicada diretamente na região do couro cabeludo que está sofrendo a perda dos fios.

Apesar de não ser um consenso, os estudiosos entendem que a ação do Minoxidil se dá através da estimulação da entrada de canais de potássio, o que evita que o cálcio aja diretamente nas células e impedindo o crescimento dos folículos.

Normalmente as pessoas iniciam o tratamento utilizando o Minoxidil e logo o interrompem. Isso porque a concentração da loção inicial é a de 2% (aplicando uma vez por dia), e depois de alguns meses fazendo isso, alguns pacientes se cansam e param.

Com essa quantidade de concentração e utilizando apenas uma vez por dia, realmente não se conseguirá fazer com que o cabelo cresça. O máximo que pode acontecer é a queda de cabelo ser reduzida.

Vale reforçar que a Finasterida e o Minoxidil não são competidores, sendo utilizados em conjunto por algumas pessoas para obterem resultados mais evidentes.

Uma dica a se fazer é tirar fotos da área sendo tratada. Muitas vezes a olho nu não é possível notar a diferença, mas ao tirar as fotos com o passar do tempo, é possível verificar se a região está igual ou se está mudando por mais devagar que seja. Assim você decide se quer ou não continuar com o tratamento.

É importante nunca começar um tratamento sem procurar uma clínica ou um médico especialista antes. Ele saberá qual é o mais indicado para suas necessidades e qual a dosagem correta. Além disso, te esclarecerá qualquer dúvida que você tiver.

Caso tenha interesse em informações mais completas e direcionadas para o seu caso, agende uma consulta comigo:
Telefone: (011) 3456-3144 | Whatsapp: (011) 96576-3881

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *